Ganhei de todo mundo na geneiedade.

sexta-feira, 2 de maio de 2014

O que sei.














Eu não sei explicar-te 

47 comentários:

  1. Passando para desejar um ótima sexta feira e matar a saudade do seu cantinho que é muito encantador!

    Ah! O amor berra, mas são poucos os que calam a voz da arrogância para o deixar falar...

    Muita luz!! ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também a ti, um excelente final de semana a começar de uma bela sexta-feira. Fica sabendo que a tua não é maior que a minha e que as longas esperas só valem a pena quando finalmente te lembras de nós e deixa-nos um presente em teu belo blog. Trágico que o amor precise berrar. Lembra-me as conversas que tento ter em lugares com muito barulho... Mais trágico que, ainda que berre, ele não possa fazer-se ouvir, porque a arrogância, quando fala, é com megafone. Tudo na arrogância é mega. Felizes os ouvidos que, desempedidos dela e dos tampões do descrédito do amor, possam ouvir o que o amor diz sussurrando. Beijosssssss pequena

      Excluir
  2. Ah o amor...se é difícil de entender imagina de explicar né..mas chega uma hora que basta senti-lo e tudo começa a fazer sentido :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vero, são duas dificuldades enormes que, quando se juntam, não se somam, mas se multiplicam. Talvez seja por isso que a absurda simplicidade de sentir o amor se nos mostra tão cativante! Ele sim, o amor, faz sentido por si, por nós, pelas pessoas, por uma pessoa especial, pela vida, pelo que constitui e constrói a vida. E esse momento, de conhecer não o seu significado, mas sua essência, é o mais belo momento de uma existência. Vale a pena amar, se queremos viver, vale a pena viver, se amamos. Beijossssss

      Excluir
  3. Respostas
    1. É sempre muito belo, absurdamente belo e absurdamente profundo e estonteante, quando uma bela palavra se transforma num antes desconhecido belo e profundo sentimento. Concordo contigo. Estás absolutamente correta.

      Excluir
  4. Antes se ouviu; depois, descobriu... que o amor os descobriu. Lindo! Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora, peço-te que associes a isso que aquilo que se ouviu, e que se viu em outras pessoas, e de que até se escreveu, e sobre o que até se conversou em rodas de amigos, de repente é uma descoberta! E tal descoberta, percebe-se como bem disseste, não foi a que alguém fez do amor, mas a que o amor fez de alguém. Acabo gostando da ideia que criamos. É bela, eu acho. Abraçosssss

      Excluir
  5. Q belo!!! Sabes pq gosto dos romances do Nicollas Sparcks??? Pq ele fala do amor homem para com a mulher, diferente dos q vemos sempre e não mulher para com o homem...Vc revela-se, isso é magnifico...Q sua amada faça-o feliz a cada dia...Bravo! rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nicholas Charles Sparks, o escritor americano, romancista cujo tema central e quase único é o relacionamento afetivo. Sim, o narrador e o ponto de vista dele são masculinos. Revelar-se é interessante quando o que se tem a revelar é relevante. Contudo, ‘minha amada’ (como o disseste) talvez esteja esperando para fazer-me feliz quando me conhecer, eu penso. (risos). Mas o voto fica para a ocasião oportuna. Beijosssssss

      Excluir
  6. Bom dia, Lucas! Obrigada por corrigir-me, Nicholas Sparks, ainda bem que coloquei ponto de interrogação e deu espaço para você responder, ufa! rs . Sou toda atrapalhada, isso tinha que acontecer por aqui, de outra forma não seria eu...rs. Beijinhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não pretendi corrigi-la. Desculpa-me. A única coisa certa de acontecer contigo aqui é ser sempre bem vinda, gosto muito de teus comentários. Beijinhosssss

      Excluir
  7. Bom dia Lucas.. quando o assunto é amor a gente nunca saberá as surpresas que o mesmo nos reserva.. abraços amigo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vero, amigo! Ele se transforma, realmente, de palavra em sentimento, de verbo em razão, assim, de repente, do nada. Do nada ele se faz de repente, tudo. Resta-nos a sensibilidade de, percebendo-o, fazer por onde ele fique, floresça e frutifique. Não é vero? Abraçosssssss

      Excluir
  8. E qdo a força dos melhores sentimentos, brotam..
    Menos ainda sabemos.

    Uau!

    bjo de luz
    L.L.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nenhum momento é mais belo, digo-o sobre o que quer que seja de bom, útil ou verdadeiro, que quando o descobrimos! A descoberta do amor do qual nada sabíamos senão a palavra que o nomeava, o brotar do amor, isso é algo inexprimível. Um inexprimível que nos traz arrepios! Nada sabemos, a começar de que não sabemos sequer descrevê-lo. Mas... Como é belo. Usarei uma palavra que não uso, mas uma amiga usa muito: como é maravilhoso! Beijossssssss

      Excluir
  9. Quando conhecemos verdadeiramente o amor, não encontramos uma explicação, mas encontramos o verdadeiro sentir. Quando a gente passa amar, a nossa única vontade é viver esse sentimento sublime. Deixamos de lado todas as explicações do mundo. Beijinhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deveras, teu pensar de poetisa penetrou o âmago do que vivenciamos: só queremos vive-lo! Só queremos que o dia comece! Só queremos que o dia chegue, que a hora chegue! Não queremos, sequer pensamos em descrevê-lo. Partimos logo para os arrebatamentos das comparações: é maior que o ceú, é mais eterno que as estrelas! A realidade há de perdoar-nos, porque descrever não é o principal. O principal é viver! Beijinhosssssss

      Excluir
    2. Exatamente, Lucas! Obrigada pela sua doce visita. Já disse que adoro os seus comentários? Beijinhos.

      Excluir
    3. Visitar-te é sempre muito bom, pois teus textos e poemas são muito belos, com uma riqueza de nuances e uma delicadeza impressionantes. Portanto, não apenas eu, mas muita gente irá sempre visitar-te. E então, comentar se torna uma força, uma inspiração dentro de nós. Fico muito feliz de que gostes, é vero! Não lembro se o disseste, desculpa-me. Mas é muito bom que o tenhas dito ou repetido... (risos) Beijinhossss

      Excluir
  10. Respostas
    1. Sim, concordo! A descoberta do amar é sensação por demais bela, por demais rica, por demais extasiante! Por vezes, mesmo sem esperança, não largamos aquela fotografia, aquelas palavras, aquele sorriso. Mesmo sem saber se um dia seremos amados, amamos. E isso é muito, muito imaturo, completamente infantil... – Mas muito belo!

      Excluir
  11. Respostas
    1. Impagável... Irresistível... Inexorável... Insubstituível... Inexplicável... Imarcescível... Incontrolável... Inesquecível... Beijossssss

      Excluir
  12. Romântico =) adorei..
    Bjs boa semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parei para pensar na palavra que usaste. Voltei a ler a postagem. Penso que tens total razão. A postagem é completamente romântica. Eu sorri, pensei: ‘estarei ficando romântico’? Penso que não (risos). Penso que foi apenas uma ave que passou, deixou um canto em meus ouvidos, e eu o transcrevi... Excelente semana a ti! Beijosssssss

      Excluir
  13. Lindo! Cada paixão é uma descoberta, um novo sentir. O amor espero encontrar em alguma delas. haha
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fizeste-me pensar... Confesso que não tinha me lembrado da paixão. Do que falei foi do encontro do primeiro amor. Não pensei se a paixão estava inserida no processo, se a paixão é parte do amor... Alguém pensará até que são correspondentes, e eu penso, convicto, que não são. Mas, aí está, puseste lenha na fogueira, isso daria um bom debate. E, é claro, espero também que o encontres! Beijossssssss

      Excluir
  14. É tão bom quando nos permitimos enxergar e conhecer o amor! É muito bom quando é algo que se torna real, algo além do que costumávamos ouvir. Algo a se viver. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Expressaste a essência de meu pensamento de uma forma muito bela, através destes quatro toques poéticos, pequena: ‘é tão bom’, ‘é muito bom’, ‘algo além’ e ‘algo a se viver’. É isto! Amar há de ser isto! Foi muito bela a forma como o disseste! Beijosssssss

      Excluir
  15. Eita!!! Muuuito bom!! Forte!! Ela deve ter adorado!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, meu amigo, devo concordar contigo que é uma confissão forte! (risos) Contudo, não a usei em particular para alguma eleita, e, agora que o disseste, mordo os dedos com que publiquei tais palavras que primeiramente deveriam ter sido dedicadas! (risos) Espero que, na ocasião adequada, não venha a me fazer falta algo que seja ao menos correspondente. Abraçosssss

      Excluir
    2. hahaah....deixa na manga, vai funcionar muito bem em todas ocasiões.

      Abraço!

      Excluir
    3. É isto! Ao menos posso afirmar com toda sinceridade que o escrevi pensando em dizê-lo e não podia! Talvez seja mesmo um prenúncio, algo e alguém que vai tão lá no fundo de mim que eu não discerni ainda. Durma-se com isto! (risos). Valeu, amigo. Abraçossss

      Excluir
  16. Como diz Martha Medeiros: " O amor que nos serve e que nos faz evoluir é aquele que traz à tona a nossa melhor versão."

    *Se quiser/puder dê uma passadinha no meu cantinho: www.amoresefemeros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E Martha tem razão nisto. Uma destas duas coisas ele certamente faz: ou busca em nós nossa melhor versão ou nos renasce do coração e faz vir à nossa pele uma versão que não éramos e não conhecíamos. Visitar-te-ei, sim. Beijosssss

      Excluir
  17. Boa noite, Lucas!

    Ahhh,o amor!
    Sabe o mistério dos pássaros
    E ensina a voar

    Tão bom sentir... Amei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim. Que professor é esse, que sabe o mistério dos pássaros? Que capacidade é essa, que transmite a dádiva de voar? Que palavra é essa que, dita por uma porção de pessoas é tão somente o contrário de Roma; mas, dita por determinados lábios, ouvida de determinada voz, faz a emoção montanha russa parecer um mero passeio de pedalinho perto dos seus efeitos? Seu nome é amor, e não o conhecemos senão quando estamos exatamente de cabeça para baixo de tudo o que sabíamos. Bom de sentir. Muito bom de viver. Boas noites a ti.

      Excluir
  18. Sentimento não se explica. Vive-se ou não. Gostei muitíssimo do seu blog, Lucas. Conheci de passagem pelo blog dessa distinta senhora ai em cima, a Joana. Seguindo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vero, tens toda razão. Não o tendo conhecido, como poderíamos descrevê-lo a contento? E tendo-o vivido, com que palavras o descreveríamos? Impossível descrever um olhar, um toque, um beijo. A distinta senhora é uma das grandes poetisas de nosso tempo. Satisfação tê-lo por aqui. Abraçossssss

      Excluir
    2. Que lindo! Declaração perfeita. *-*

      Excluir
    3. Acreditas que tal pensamento me ocorreu olhando para um lago, da janela de um ônibus?! Meu pensamento voou longe, e tive que decorá-lo para não esquecer. É muito bom que estejas aqui. Beijosssss

      Excluir
  19. Acho que essa frase resume bem a busca que todo ser humano almeja encontrar.... esse amor que nos toca tão profundamente, que faz com que todo e qualquer sentimento anterior seja apenas uma pequena prova, um pequeno esboço, da grandiosidade do que é realmente amar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É exatamente isto. No começo, não era uma procura, somente ouvíramos falar de amor. Depois, criou-se uma expectativa, vendo amores em volta. Quando houve essa experimentação do amor a que te referes, esse ‘toque’ único entre os sentimentos humanos, então tudo o mais ficou realmente como esboço, pequena prova, caricatura do que é o amar! Foi muito belo o que disseste! Beijosssssss

      Excluir

A princípio, responderei a seu comentário, pois considero isso uma parte muito agradável da postagem.