Ganhei de todo mundo na geneiedade.

terça-feira, 20 de maio de 2014

Orvalho sobre a relva.














O amor não é perda 

28 comentários:

  1. Verdade! O amor quando é amor, é lindo! Pena que esse sentimento lindo está ficando cada vez mais dificil de ser encontrado. As pessoas valorizam mais o TER do que o SER, tudo sempre visando algo em troca. Quando na realidade amar é tão simples, algo tão natural que nem precisa de explicações e muito menos cobranças. Mas enfim...por mais que esteja escasso, eu ainda acredito no amor, ou pelo menos tento acreditar!

    Beijoos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A raridade do amor pode nos entristecer, pode nos pôr de sobreaviso, pode tentar nos fazer acreditar que não vale a pena esperar encontra-lo. Mas, conquanto raro, ele existe! Existe e é muito, muito belo, muito profundo, muito verdadeiro! Tens razão, o ‘ter’ é quase dez vezes mais visado que o ‘ser’; assim como o ‘eu’ é cem vezes mais visado que o ‘nós’. Mas quem vive em busca do amor há de encontra-lo ou dele ser encontrado. E esse momento de orvalho na relva fará tudo o mais ter valido a pena! Com certeza! Beijosssssss

      Excluir
  2. Respostas
    1. O verbo ‘agregar’ é belo demais. ‘Reunir em uma só todas as partes que não têm entre si ligação natural’. O amor faz ser natural o que não era. É perfeita tua definição. Muito bela. Então, resta-nos tão somente nos deixar agregar! Beijosssssssss

      Excluir
  3. O amor é a transposição de abismos, a ponte para as almas inatingíveis.
    Tudo!

    Bom final de tarde, Lucas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Algum cético ainda poderia dizer-te, perguntar-te: “mas, que espécie de tudo é o amor’”? E poderias responder-lhe: “ a espécie de ‘tudo’ que inclui o que não sabes, o que não esperas, o que não compreendes, e até mesmo o que não acreditas!” Bons finais de todas as tuas tardes!

      Excluir
  4. Amar é ato mais sublime e pleno do ser humano. É o ápice do verbo sentir. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente contigo. Digo-te que uma coisa que aprendi ainda criança é a condição de disposição. Aprendi que essa condição é sublime, essencial. Quando te dispões a algo, a capacidade de alcança-lo é infinitamente maior. Amar é uma disposição do coração humano. É mesmo o ápice do verbo sentir! Foi muito belo o que disseste. Beijosssssss

      Excluir
  5. No mundo falta amor, ele é confundido com paixão. Madre Tereza de Calcutá diz, "Ame apenas, pois o tempo nunca pode acabar com um amor sem explicação." Como vc disse, o Amor é...o mais é uma espera estéril...
    Fique bem! Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estás correta, eu penso! Não há confusão mais danosa que esta a qual afirmaste. Pois a paixão só cabe onde lhe convém, e nunca será no lugar do amor. Ela pode somar a ele, mas não substitui-lo. Porque a paixão: ou não vai muito longe, ou vai longe demais. Mas o amor vai até a medida exata das coisas. Fica bem, sempre. Beijosssssss

      Excluir
    2. Disseste bem, quando se diz matei por amor, ou causei danos pq amava demais. O amor constrói em todos os sentidos. Um bom dia para vc...Ah! Conheci através do seu espaço poetas maravilhosas...Encantada, amo poesia e nada sei...rs. bjs

      Excluir
    3. É vero, não se mata ou causa danos por amor. O amor constrói, reconstrói, cria o novo, e então sabemos que é ele. Fico feliz que os tenhas encontrado por aqui. Sou um mero 'frasista', contudo, parece que tenho a felicidade de sempre ler quem tem arte no coração e nas mãos! Também nada sei de poesia. rs Belos dias a ti, beijossssss

      Excluir
  6. Boa noite Lucas o amor é o que a gente ainda não conseguiu compreender e nem sentir totalmente pq ele vibra acima da densidade humana ao qual muitos de nós estamos presos ainda.. abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vero, o amor é a quinta-essência, nós somos a criatura em aprendizado. Não há como sabe-lo completamente, em senti-lo em toda a sua vasta extensão, meu amigo. Abraçosssss

      Excluir
  7. Tentei comentar mais cedo, mas não consegui. Pois bem, o amor é imensurável, como tu sabes, talvez seja por isso que tu o defines tão bem. Concordo plenamente com as palavras de teu texto, e também digo, como tu, que este é belo... muito belo. De arranjo e beleza incrível! E eu fico aqui só por ler, das vezes que não posso comentar, mas é ótimo ler e imaginar. Bom dia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que não tenhas encontrado problemas no acesso ao blogue. Sim, o imensurável se apresenta na única parte do ser humano em que é cabível, no coração. Se dele fazemos algumas poucas definições, não é com a pretensão de explica-lo completamente, mas apenas destacar alguns poucos de seus infinitos pontos. E isto tu, por exemplo, fazes de uma maneira rara. É bomque fiques, que leias, assim, posso imaginar-te caminhando em silêncio por entre cada uma das palavras. Bons dias a ti.

      Excluir
  8. Que lindo Lucas, concordo com vc que o amor é tudo.
    O maior e mais bonito sentimento do mundo, pena que as pessoas estão deixando de lado, usando a palavra amor banalmente.

    bjokas e um lindo dia =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deveras, o amor é tudo e o mais é espera estéril. Concordo contigo, é de longe o mais belo dos sentimentos, a tal ponto que não saberás dizer se o tens ou se ele tem a ti. É lastimável que a maioria das pessoas afirmam possuir um sentimento que não as possui, que não está nelas. Contudo, a minoria que o sente e vive de fato, vale plenamente pela presença dele no mundo. Lindos dias a ti, beijokassssss

      Excluir
  9. nossa.... que lindo. Adoro quando a beleza e as palavras se completam.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A beleza tem certos namoros com as palavras que valem a pena presenciar. E nós, meros instrumentos desses encontros, nos deleitamos em saber que de alguma forma contribuímos para eles. A conclusão a que chegaste, por exemplo, foi muito bela. Beijosssssss

      Excluir
  10. Sempre com lindas palavras =) "o silêncio é minha melhor forma de amar"! =)
    Lucas, excelente final de semana p ti, obrigado pelos teus comentários lá no blog, pois eles sempre me fazem enxergar novas perspectivas! Obrigada msm =*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também é a minha! Há tantas formas de dizer amor em silêncio. Há tantas formas de olhar. Tantas formas de cuidar. Tantas formas de diferenciar! De modo que o moço das ‘lindas palavras’ que gentilmente atribuíste é também o moço das palavras silenciosas. Excelentes finais de semana também a ti, pequena. Já há tantas e tão ricas perspectivas no que escreves. Que bom que eu possa acrescentar algumas! Deixa-me feliz. Beijossssss

      Excluir
  11. Assino embaixo ...o amor é resposta, é esperança, é vida, é força, é vontade de viver mais e mais...se há amor, há também o respeito, o carinho, o cuidado e isso é maravilhoso.

    Beijinho Lucas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Palavras muito belas, as tuas. O amor é a estrada da eternidade, e é a estrada em que não se conseguiria, por mais que se tentasse, caminhar sozinho. Não há outra estrada para a felicidade. Não há outra vereda, outro atalho, outro caminho. Assinamos embaixo! Rs Beijinhosssssss

      Excluir
  12. Que lindo Lucas, disse tão lindamente e verdadeiramente, fiquei com os olhos cheios de água.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabes, depois que escrevi, todos os dias tenho lido. Não está aí tudo o que há em meu coração. Não está, na verdade, nem uma pequena parte. Mas uma coisa é certa: o que está escrito é tão Lucas quanto fosse um retrato. De fato: É mais Lucas que um retrato seria. Abraçosssssss

      Excluir
  13. Nossa, que bonito. Acho que retratastes a mais pura percepção sobre o amor...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, que bonito. Acho que retratastes a mais pura percepção sobre o amor...
      Agradeço-te muito. Mas, peço-te que imagines um formiguinha que encontrou um montão de um quilo de açúcar derramado e tentou explicar a outras que tinha visto muito açúcar; na dimensão de suas articulações dianteiras, ela mostrava o tamanho enooorme do monte; e uma das formiguinhas disse a ela: “retratastes bem a grande extensão do monte de açúcar”! Mas, na verdade, ela só estava retratando o tamanho da extensão de suas articulações, o tamanho da extensão que suas ‘patinhas’ alcançavam, não o tamanho do monte de açúcar de fato! É assim que te sinto, e que me sinto.rs Beijossssssss

      Excluir

A princípio, responderei a seu comentário, pois considero isso uma parte muito agradável da postagem.