Ganhei de todo mundo na geneiedade.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Pedras.











Assusto-me em como tantas pessoas se machucam com as pedras! Nunca chutei aquelas que se apresentam em meu caminho. Sempre pensei que isso fosse para as pessoas que não sabem pular ou contornar!
Lcc

42 comentários:

  1. Às vezes, com os chutes, ao invés de quebrarem-se as pedras, quebram-se os dedos, e os pés começam a doer, e o caminhar vai ficando lento, e mais a frente pode-se cair... Ótima essa tua reflexão. Quantas inúmeras coisas não se pode comparar a essas pedras em nossos caminhos?
    Boa madrugada a ti. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em minha infância humilde, aprendi desde cedo que chutar pedras estragava o calçado da escola. Tens razão! As pedras não se quebram, e nós é que nos quebramos ou desgastamos em chuta-las. Muitas coisas são assim, na vida. Nosso desejo, às vezes, é chutar! Mas desviar-se ou pular é ter crescido na alma. Tens razão, muitas coisas podem ser estas pedras! Bons dias a ti. Beijosssssssss

      Excluir
  2. Que lindo,Lucas! Adoro ver as pedras, principalmente na praia onde estou... E as que surgem no caminho, temos que aprender a pular pra não nos machucar!

    abraços praianos,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tens razão! São belas! Também gosto de observa-las, nas praias, nos rios, nos caminhos feitos com pedras pequenas ou grandes. Carlos Drummond escreveu magistralmente sobre a pedra no caminho, e disse:
      “Nunca me esquecerei desse acontecimento
      na vida de minhas retinas tão fatigadas.”
      Penso que, a esta que descreve, ele não deu a volta nem pulou, e eis todo o sentido do poema! Precisamos aprender! Abraçosssssssss

      Excluir
  3. Boa tarde Lucas..
    o reino mineral ainda tem muito a nos oferecer e ensinar a gente..
    sei que muita gente não vê assim.. mas fomos pedra, fomos vegetal, fomos animal e hj humanos..
    a gente tem que aprender a trilhar tudo em harmonia.. dai as pedras não nos afetam mais.. abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma forma de pensar, afinal. Respeito ser esse o teu pensar, conquanto pense que somos seres únicos, dotados de uma identidade única no Universo, reconhecidos pelo Criador, que conhece por nome estrela por estrela, e nos conhece a cada um individualmente, ser por ser, em toda a nossa integralidade. Corpo, alma e espírito inseparáveis, não intercambiáveis, exclusivos. Contudo, não chutar uma pedra significará não machucar-me, e isto, deveras, põe-me em harmonia com a vida! Grande abraço, amigão!

      Excluir
  4. A tal pedra é semelhante às coisas que ficam ali, corroendo a nossa alma e pesando dentro do nosso coração. A nós, portanto, restam a calma e a sabedoria para passarmos por ela... Na pressa, na dor, no medo, na raiva... ela pesará sempre mais do que nós. Obrigada, caro amigo, como é bom receber sua visita! Um abraço e minha admiração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lucas

      Cada pedra remete uma dificuldade, cabe a nós saber o que fazemos com elas.
      Algumas pessoas diante das dificuldades abandonam o caminho, outras passam a vida toda contornando, outras fazem das pedras um novo caminho ou ponte para avançar cada vez mais.
      Honra saber que está relendo meu blog rs...

      bjokas =)

      Excluir
    2. Mara,
      Tua amizade é muito importante. Penso que sabes bem como te admiro e respeito. Não sabias ainda como é demorado para nós, que te lemos, teus intervalos de postagem! rs Bem, agora o sabes! rs Gostei, deveras, do que disseste! ‘A tal pedra...’ É isto! Essa ‘tal pedra’ que, mesmo sendo pequena, ínfima, entra no sapato e machuca. Essa ‘tal pedra’ que, sendo grande, pesa e não podemos afastar. Só nos resta calma e sabedoria, para nos desvencilharmos dela, delas, de quantas forem, e descansar nossos pés, finalmente, no tapete macio que a consciência em paz estende para nós. Abraçossssssss

      Excluir
    3. Bell
      Como alargaste o pensamento! Muito belo! Muito belo! Há mesmo pessoas que, em vez de desviarem-se das pedras, desviam do caminho por causa das pedras! Vero! Outras que rodam à volta da pedra, em círculos, obcecados por resolverem sobre ela o que nunca resolvem, e perdem boa parte da vida ali! Vero! Mas alguns usam a pedra que é problema para algo em que ela seja solução, aprendizado, um bem! Deixaste-me sorrindo! rs Deixa-me retribuir-te! Mês que vem é teu aniversário. Penso que devo ser o primeiro a dizer-te: parabéns, sol! Sê feliz! Que tu aproveites os 365 presentes que receberás em 2015! Bjokassssssss

      Excluir
  5. Belo pensamento! as vezes criticamos a vida, por nos encontrarmos diante das pedras em nosso caminho, mas uma coisa é certa: as pedras foram feitas para nos ensinar, ensinar que depois da dificuldade, encontramos a alegria; que depois das pedras, há um caminho largo e cheio de luz.

    Abrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeito! Molto bello! Criticar a vida pela pedra acrescenta o quê? Deveras! Pedra = ensino. Ensino = aprendizado. Aprendizado = vida melhor! Logo, por consequência temos que toda pedra é uma crise ou oportunidade de encontrar o caminho de viver melhor! Caminhos largos! Luz! Sabe, ninguém gosta de chutar pedras, mas todos gostam de caminhar na deliciosa areia fina da praia do mar! Só que areia nada mais é que rocha desintegrada pela força do mar. Se soubermos jogar com as forças da natureza e da vida, em vez de topar em pedras, pisaremos em areia! Abraçossssssss

      Excluir
  6. Eis uma grande reflexão. Às vezes, as pessoas preferem atropelar tudo que atrapalha o seu caminho, sem pensar nos efeitos daquele ato. É preciso ter paciência e sabedoria para lidar com os obstáculos para alcançar o objetivo. Beijinhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bendito instinto! Tantas vezes nos salva, de tantas situações e circunstâncias! Mas, às vezes, nos arrastam a atropelar coisas, como se atropelar fosse o único verbo da Terra! Quanto caminho de aprendizado, de vida, temos que percorrer, até que o instinto não se meta nas coisas que estão para além de sobreviver? Quantas palavras dizemos, quantas respostas damos, quanto pagamos de mal com mal, de afronta com afronta, enquanto não aprendemos que pedra é pedra, que ela não se mexe, que nós é que nos mexemos, que nós a contornamos, que nós a pulamos? Paciência e sabedoria, eis as palavras mágicas que tu disseste. Elas vencem o mundo inteiro de pedras! Belíssimo. Beijinhossssss

      Excluir
    2. Belíssima reflexão, Lucas. É o que eu peço todos os dias nas minhas orações, além de saúde, paciência e sabedoria. Beijinhos estaladossssssssss.

      Excluir
    3. Também eu. Pensar que tenho tanto a aprender em tão pouco tempo me faz pedir sempre que essas virtudes extraordinárias absorvam cada vez mais meu ser e pensar! Beijinhosssssssss estaladosssssssssss rs

      Excluir
  7. Suas palavras são repletas de sensibilidade e verdade.
    Que eu aprenda, que tu aprendas, que nós aprendamos a cada dia pular e contornar as "pedras" que aparecer em nossos caminhos.

    Por um minuto aqui também lembrei da expressão das pessoas que eu já vi chutando pedras por aí. Ou chutam o que vê pela frente quando estão repletas de fúria e raiva.

    Abraço.

    AnaVi
    filhadejose.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratíssimo a ti. Aprender é um verbo tão especial. Porque ele independe de vencer ou perder, independe de idade ou condição financeira. Quem chuta pedras tem uma expressão bem característica: é a da dor tomando o lugar da expressão de raiva. Chutarmos pedras não acaba com a raiva, só aumenta dor a ela. Melhor contornar, melhor esperar a sequência dos dias, o girar do mundo, e, enquanto isso, ir pulando e contornando. Belíssima homenagem tua a teu pai!!! Parabéns! Abraçossssss

      Excluir
  8. Bom, Lucas bem verdade que aprendemos com o topar das pedras, são tantas que não há como não aprender. ' Pelo menos em minha vida '. Disse outrora que amava pedras e costumo fotografá-las, mas na verdade passei por aqui para cobrar-te, lembra? Deves uma explicação sobre o significado das doze pedras (08-05-2014)...aeee!!!! rs. Acho que chegou o momento...rs. Bjus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aprendemos: 1. Com o topar nas pedras; 2. Com o perceber as pedras; 3. Com o evitar tropeçar nas pedras; 4. Com o evitar chutar pedras; 5. Com o aprender sobre as pedras.
      Quanto ao que cobraste, eu não disse que haja significado em 12 pedras. rsrsrs Eu disse que 'pedras e rios trazem pelo menos doze bons significados'! Não chegou o momento, eu esperava que você os intuísse, mas serei um bom rapaz. Direi alguns dos bons significados: 1. Pedras e rios às vezes coabitam, embora sejam de origem e estrutura completamente diversa - a diversidade existe e é importante. 2. Pedras transmitem solidez, impenetrabilidade, rios simbolizam serena continuidade - rios contínuos desgastam e modelam as mais solidas rochas. 3. As pedras não impedem o fluir dos rios, eles as contornam - contornar pode ser a melhor opção. 4. Enquanto contornam as pedras, os rios cantam; o choque contra elas é um dos sons mais tranquilizantes do mundo - o que poderia ser um mal, um obstáculo, pode ser vencido com uma canção. 5. Assentados numa pedra, vemos o rio que passa, o que vem lá de cima, o que vai lá abaixo... - observar a vida, de uma pedra do caminho, pode ser uma forma de entende-la melhor! Bem, parei em cinco porque competirá a ti buscar tantos outros. Sabes qual o melhor meio? Eu conheço alguns rios com pedras. Deves conhecer alguns. Assenta-te numa! Tua visão da vida será iluminada! Zero dívida! Beijossssssssss

      Excluir
    2. Grata. Zero dívida..rs. Zero a minha comodidade, só esperando o prato feito. Buscarei sim, sentar-me em uma pedra...rs. Q seu dia seja perfeito! Beijos.

      Excluir
    3. Moça inteligente! Que tu chegues a muitas e importantes de conclusões! Beijossssssss

      Excluir
  9. Olá Lucas! Voando da Bel, caí aqui.
    Boa postagem, faz pensar...
    Acredito que encontramos todo o tipo de pedra no caminho, mas nem sempre podemos tomar a mesma atitude com todas. Algumas devem ser chutadas, outras contornadas e outras, ainda, puladas... Acho que depende da situação.
    Abraços e ótimo dia.
    Márcia (Poções de Arte).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que 'caístes' por aqui! Sim, é vero, encontramos todo tipo de pedra. E tens toda razão quando dizes que não podemos tomar o mesmo tipo de atitude com todas. Até porque isso depende da pedra! Tu acrescentas a interessante atitude de chutar. Pensei nisso, ao escrever a frase. Mas me vi diante das duas alternativas que acreditei serem as únicas: 1. Se a pedra é insignificante, por que chutar? Por que não passar por cima, ignorar? 2. Se a pedra é maior, contundente, por que chutar? Chuta-las é jogar o jogo delas. A carne que dói e os ossos que quebram são nossos. Então, não me sobraram pedras as quais chutar fosse a melhor opção. Por isso é que coloquei apenas pular (quando a pedra é pequena) ou contornar (quando ela é grande). É claro que analisei a questão filosófica de 'remover' uma pedra para que outros não se firam com ela. Mas a frase visava apenas uma situação mais simples, entre eu e a pedra, e o objetivo foi transmitir essa ideia: não percas tempo com o quê ou quem não te edifica, não reajas a ele pela força, mas aprende a, com sabedoria, contorna-lo, e seguir tua vida. Muito belo conversar contigo! Volta mais vezes! Abraçosssssssss

      Excluir
  10. Olá Lucas. Com a experiência deixamos de chutá-las e passamos a contorná-las ou pulá-las. Agradeço a visita e o comentário no blog . Beijo grande.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, tens razão, é fruto de experiência. A experiência encurta caminhos, elimina desgastes, é fundamental! Excelente blogue tu tens! Teu ícone apareceu no quadro dos meus seguidores mas depois, infelizmente, desapareceu. Pena! rs Beijossssssssss

      Excluir
  11. Oi, Lucas!

    Precisei sumir um pouco do blog (o meu) e acabei em falta aqui. Mas, em tempo, bela reflexão você faz, como sempre!

    Às vezes acontece, não de chutarmos, mas tropeçarmos em algumas das pedras que se apresentam atravancando nosso caminho, né? Ainda assim, a dor de um tropeço numa pedra real chega a ser nada se comparada àquela dos tombos que tomamos em função dos erros cometidos ao longo da vida. Mas, como diz um velho ditado: é errando que se aprende, é caindo que descobrimos a arte de levantar! Que venham as pedras então, que através delas a gente consiga desenvolver em nós a sabedoria e a sensibilidade que nos falta!

    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, colocaste mais um elemento novo na reflexão. Não podemos confundir 'chutar' com 'tropeçar'. Tropeçar se dá por aquela distração com que vivemos algumas coisas na vida. Dinâmica como é, nossa vida nem sempre perdoa distrações, e aí, tropeçamos. Tropeçar é muito mais humano e aceitável ou perdoável que chutar. Chutar é ter visto, é buscar o confronto, é medir forças. Que venham as pedras, e que estejamos atentos à vida, ao caminho, e que desenvolvamos, pela experiência, sabedoria de caminhar. Beijosssssssss

      Excluir
  12. Pedras no caminho? Junto todas para um dia construir o meu castelo...

    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se puder ser feito, por que não?! rs O problema maior é que é uma pedra aqui, outra quilômetros lá na frente, e aí, é preciso decidir onde o castelo tomará forma! rs Mas a ideia vai também por aí: usar o mal para o bem, transformar o inútil em útil, vencer no que procura nos derrotar, saber trabalhar com o que o caminho apresenta!... E, se possível, construir o tal castelo. Nesse caso, de preferência, que a última pedra seja num longo vale, à beira de um riacho, com vários outros por perto! Beijossssssssss

      Excluir
  13. Mas é que é para isso mesmo que as pedras servem... mas é preciso saber contornar e lidar com elas!

    Bjxxx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lidar com pedras é uma arte muito especial, e também uma necessidade. meu pai sempre me ensinou que o voar dos pássaros, o nadar dos peixes e o pensar dos homens são habilidades inatas! Ele sempre disse: ‘pense nos detalhes! pense nas saídas! pense nas soluções! contorne! descubra meios!’ Pedras, muros, buracos, armadilhas, encontraremos de tudo, pela vida! É necessário desenvolver a arte de pensar. Muitas felicidades no casamento!!!! Beijossssssss

      Excluir
  14. Likeyour blog. Great posts. I follow you, could you follow back, pls. Kiss

    http://mylovelyfashionbih.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. I wish I had a special time to visit you. You know, you're my first internacional contact, and my knowledge of the English language is not great thing. But I’ll try. Precisely now, I’m studying a whole dictionary exactly with this intention! Kissessssssssss

      Excluir
  15. Você sempre com palavras cheias de vida.
    No meio do caminho sempre terão pedras, e você disse lindamente a sabedoria de contornar ou pular.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratíssimo a ti. Que haja vida nelas, para comunicar-se com a vida dos corações a que chegam. Sim, é preciso não lutar contra aquilo que evitar já é vencer. Beijinhosssssss

      Excluir
  16. Pouxa, Luquinhas, fiquei refletindo agora com sua escrita (...)
    Lembrei de alguns episódios que chutei a pedra (e acabei me machucando).
    Posso dizer que sou sua fã?? Rsrs
    Beijo, fica com Deus.
    Ciça.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, esta frase sobre a pedra no caminho deu o que falar. rs Pois é uma reação quase impossível de ser detida, o chute! A ira, o orgulho, o medo ou o desespero, por exemplo, são todos sentimentos muito, muito intempestivos! E até a razão argumentar que dois mais dois resulta em quatro, e que chutes resultam em dedos feridos... - o chute, muitas vezes, já saiu! É ruim que te machuques! Tanto pior, se chutas e machucas não os pés, mas o coração. rsrs
      Bem, é muito belo que o perguntes, quanto mais que o digas! rsrs Não sei o que respondo, e nem sei se a pergunta retórica se responde, rs mas considera que, qual seja a resposta, será feliz.
      Cuida-te! Beijossssssssss

      Excluir
  17. Seu blog tem frescor de rio,
    cheiro de mato, palavras que nutrem,

    muito lindo.

    Be

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A beleza do que escreveste me fez ficar sorrindo, depois de um dia extremamente cansativo (parece ter sido um dos mais cansativos dos últimos tempos). Li tantas vezes, que percebi cinco grupos de três, nas quinze palavras. Um grupo para apresentação e um para fecho; e três grupos encantadores de qualidades de bens importantíssimos, dois da natureza e um da Humanidade. Penso que são proporcionais: rios refrescam tanto quanto o mato cheira e as palavras nutrem a vida, os relacionamentos e os melhores sentimentos. Tuas palavras nutriram um sorriso num rosto cansado. Isto foi muito belo. Foste extremamente bela! Gratíssimo. Beijosssssssssss

      Excluir
  18. Lucas,
    pensar em teu sorriso advindo das palavras que te trouxe
    é de um encanto:
    quase mágico este mundo, não?... senão veja:

    dois seres pensam, escrevem e publicam seus
    pensamentos pessoais,

    e tudo por causa de um negocinho esquisito chamado internet,

    se alcançam, e sorriem.

    A vida é bela é mesmo.

    Beijos.

    Be



    *

    ResponderExcluir
  19. '...dois seres ... se alcançam, e sorriem.' É, moça, esse 'negocinho esquisito chamado internet' é esquisito mesmo. Nossas imagens de perfil sequer permitem saber como é nosso sorriso! Como será que imaginaste o meu? Minha imaginação é fertilíssima, e, por isso mesmo, preferi fugir o quanto pude de imaginar o teu. Só sorri de novo, com o mesmo cansaço da outra vez; mas, agora, sorri de você estar sorrindo. A vida é bela, de fato! E complexa! Temos jeito de uma enorme amizade, mas a linha tênue dessa enorme amizade é a postagem de dois blogues! rs Esse negocinho chamado internet é bem esquisito! rsrs Boa semana a ti! Beijossssssssss

    ResponderExcluir

A princípio, responderei a seu comentário, pois considero isso uma parte muito agradável da postagem.