Ganhei de todo mundo na geneiedade.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Troca.













É perfeitamente compreensível que, sendo finito, eu não possa te amar por toda a eternidade. Nesse caso, peço-te que aceites em meu amor a troca de eternidade por intensidade. Pois eu te amo na intensidade concentrada do que se diluiria suavemente, para tornar-se eterno.
Lcc

36 comentários:

  1. Declaração coerente e linda! abraços, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  2. Aaahhh, como diria um outro poeta, "...que não seja eterno, posto que é chama, mas infinito enquanto dure."

    Lindo post, linda declaração de fidelidade Lucas!

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, o soneto de Vinícius é a referência nacional (e penso que uma referência mundial) de amor, fidelidade e intensidade que se transforma em eterno! Sinto-me honrado com tua comparação! Beijosssssss

      Excluir
  3. Lindo demais, cada dia escrevendo melhor \o/

    bjokas =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratíssimo. Conquanto humilde, a proposta do meu coração é sempre crescer no entendimento e na expressão das coisas de que a vida se preenche, como um pequeno frasista. Bjokassssssss

      Excluir
  4. Lindo!! "O que a memória ama fica eterno" ja escreveu Adélia , e o que poderá ficar mais gravado, se não talhado em nossas memórias que um intenso amor como o que declaraste?! E por tanto de certa forma na memória eterno.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, a frase da Adélia é de profunda compreensão do amor. Alguém já explicou que o som das nossas vozes, como todo som, permanece propagando-se no espação indefinidamente... Há mais de eterno em nós do que possamos perceber. Mas de todos os eternos, seja quanto à intensidade ou infinitude, nada supera o amor. Gratíssimo. Abraçossssss

      Excluir
  5. lindo!!!
    Beijinhos:-)

    http://princesamae.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  6. Ola! Então, como diz a música Que seja eterno enquanto dure esse amor
    Que dure para sempre
    Que venha abençoado por Deus
    Que seja diferente
    Que tenha a alegria, alegria...Bom isso...Passo sempre por aqui, leio e não respondo, pois os dias tem voado e preciso estudar, mas não aguentava mais só lê-lo. Beijinhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! Eu diria que a alegria é a felicidade expressada no rosto, e o riso são ondas de alegria que procedem do coração. Deves estudar. Não quero que comentares aqui te atrapalhe os estudos. rsrsr Mas a expressão ‘não aguentava mais só lê-lo’ é formidável. Molto bella. Agradeço-te! rs Beijinhossssss

      Excluir
  7. Uma intensidade de valor eterno.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exacto! No câmbio das coisas que são absolutas, o máximo intenso é o correspondende do eterno temporal. Beijinhosssssss

      Excluir
  8. E como é bela a intensidade do amor, e o amor é intenso ao infinito... teu texto é ímpar, de beleza rara (isso não é novidade). É disso que as pessoas precisam: do amor intenso, com todas as características que o compõe. E que amemos intensamente, apesar de nossa finitude. Legal que abras uma postagem para que perguntas te possam serem feitas. Boa ideia! Tentei ouvir a música da postagem, mas não a encontrei em lugar nenhum da internet. Isso é uma pena! rs
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, intensidade é algo demasiado inspirador, cativante, convincente e principalmente compensador de nossa limitação no tempo. Amemos intensamente, enquanto temos tempo! Só tu opinaste quanto às perguntas. Então, vou esperar um pouco. rs A música da postagem é muito rara. Meus tios têm numa coleção. Eles são apaixonadíssimos por música, transmitiram-me a paixão, e isso me levou a um arquivo extenso que possui raridades também. Dize-me: como faço para postar a música aqui no blogue? Deveras, preciso aprender. Beijossssssssss

      Excluir
    2. Então esperemos um pouco. Alguns ainda hão de se manifestar. rs Imagino que deva ser bela a música da postagem, porém não sei como se postam arquivos diretamente para o blogue. Não sei se temos essa opção. Parabéns a ti e a teus tios. Beijos

      Excluir
    3. Bem, tu infelizmente não estavas certa. Ninguém se manifestou. Contudo, afinal, quem há de querer fazer-me alguma pergunta? rs Registro coisas sobre mim o tempo inteiro. Deveras! A música é belíssima, conquanto um estilo diferente do de 2000 para cá. Mais romântica, talvez. Penso que não temos a opção de músicas de nosso arquivo, mas somente a de vídeos. Tentei achar a música na net e não a consegui. Certamente, providenciarei outro meio de a publicar. Beijossssssssss

      Excluir
  9. O amor intenso não deixa de ser infinito, pois permanece nas lembranças de coisas boas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amar e ser amado intensamente são duas eternidades numa. Amar e ser amado intensamente é a melhor expressão e significado de felicidade a que a melhor filosofia do mundo pudesse chegar. Amar e ser amado intensamente é o sonho de consumo de qualquer rapaz que ame uma moça silenciosamente. Beijossssssss

      Excluir
  10. =) ainda bem que estás atualizando por aqui..não some..que a gente fica c saudades!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei se não aproveito a oportunidade para dizer-te que tu somes mais que eu (rs) e fazes infinitamente mais falta a todos que têm muitas saudades de ti (rs). Beijosssssssss

      Excluir
  11. A memória beija o instante. O eterno está no momento. O amor de uma vida inteira respira pela intensidade, muito, muito mais do que pelo tempo.
    Ótima troca!

    Obrigada por te ler, Lucas. Doçuras assim deveriam ser doses diárias ;)

    Beijoo'o

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Belo, belo, belo o pequeno poema que fizeste! Acho que, pequena, não brincavas com bonecas, mas com palavras. Gratíssimo a ti, pelo carinho. Na verdade, eu acabo por escrever ‘diariamente’. Minha Terra tem um translação de 165 horas e 32 min. rsrsr Ou seja, para eu fazer o que preciso, nas minhas vastas e intermináveis atividades, levo sete de teus dias! rsrs Por minha conta, tu é que deverias escrever diariamente, e isso no ‘teu’ padrão diário, rs. Beijossssssssss

      Excluir
  12. Fico distante, mas não por vontade própria, ausento-me e quando volto fico maravilhada com tuas palavras, a profundidade dos teus sentimentos. Devo repensar minhas prioridades, pois não seria o que me faz bem, o que me agrega? Não seria voltar aqui sempre, diariamente, para beber vida?... Beijoooo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cometeste o pecado de me deixares, literalmente, sem palavras! Deixa-me ver como me saio sem saber o que dizer...
      Ficares distante cria expectativas em teus leitores para além da saudade. É a expectativa do belo que aumenta a cada dia de silêncio. Eu arriscaria dizer que são silêncios profundamente poéticos. Mas, quando finalmente escreves, a expectativa é coberta com muita sobra, porque tens uma poética rara e uma humanidade preciosa! Se ao repensares tuas prioridades, resolveres reservar um pequenino lugar para ler o que um pequenino frasista escreve a cada sete dias, até penso que, deveras, agregues o que te faça algum bem. Contudo, tal bem jamais seria igual àquele que transmites! Quem escreve poemas de vida és tu, não eu. Beijossssssssss

      Excluir
  13. Não importa a quantidade de tempo junto, só importa o quanto foi intenso, inesquecível, e o principal: o quanto nos fez bem cada momento que passamos ao lado dessa pessoa especial!

    Muito lindo esse texto!
    Post maravilhoso, tocante!
    Parabéns!

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, a intensidade marca o sentimento, o relacionamento, a vida! E há uma intensidade tal, que aprisiona em si tempo, espaço, quantidade, e mesmo dificuldade! Como é belo, como é marcante, como é eterno, como é inesquecível amar com todas as forças do ser, da vida, do coração, da alma! Que possamos amar assim! Gratíssimo! Beijossssssss

      Excluir
  14. é sempre estimulante
    ler escritos que falam do amor,

    como seria bom se ele fosse eterno, não?
    se pudéssemos nos reconhecer vida após vida,
    ou,
    paralelo sobre paralelo,
    galáxia pós galáxia,

    se houvesse o amor imorredouro
    e a vida fosse bela e tudo valesse a pena
    e nossas almas não se sentissem tão pequenas,

    ah! o poeta,
    nos faz sempre lembrar que podemos mais,
    que tudo pode valer mais,

    e que o amor até pode ser eterno,
    ainda que seja nos poemas
    de quem ama demais...

    Um beijo,

    Be



    *

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, se o amor pode ser intenso na vida e eterno nos poemas, que mais podemos querer, senão amar, viver intensamente e publicar nosso amor aos quatro ventos e cantos do mundo?! Beijosssssssss

      Excluir
  15. Belíssimo! Acredito que a substância do amor é necessariamente sua intensidade, não sua durabilidade. Se caso seja possível falar em alguma medida para tamanho sentimento certamente não se dá por uma métrica de tempo. O tempo não é a variável que condiciona a intensidade, no entanto me parece que o inverso é uma consideração razoável. Sem dúvidas trocaria anos por alguns poucos instantes de pura troca e profundo companheirismo e cumplicidade. Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Propuseste uma consideração para além de razoável! Há um pressentimento de verdade nela! O tempo não é o condicionante da intensidade do amor, mas a intensidade do amor certamente é uma condicionante do tempo, ainda que, infelizmente, nem sempre a decisiva na continuidade do relacionamento. Penso que, como tu, também trocaria o menos intenso duradouro pelo mais intenso menos duradouro; mas não ousaria reduzir a instantes, porque, como a intensidade é o amor em fogo descrito por Camões, um ano dela se assemelha a um dia! Então, reduzida a instantes, ela me mataria depois, queimado de saudades, consumido da ausência! rs Abraçosssssssss

      Excluir
  16. Lembrei de um trecho de Alice no País das maravilhas bem conhecido:

    “Alice: Quanto tempo dura o eterno?
    Coelho: Às vezes apenas um segundo.”

    E de uma frase da Adelia Prado que amo:

    "O que a memória ama fica eterno"

    Eu acredito que a eternidade do amor supera a nossa existência, nos desfazemos em pó de estrela e o amor segue preenchendo o mundo de magia.

    No entanto, a intensidade supera o tempo. Acho que devemos amar enquanto existimos. Acho que devemos existir pra ser encontrados por esse amor.

    P.S: Parece que criei um novo jogo: "Encontre o post comentado" rs Se eu te aborrecer, me avisa.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São muito bonitos os textos que citou. Eu não conhecia nenhum dos dois. Gostei muito. Concordamos, então, em que a intensidade do amor iguala ou supera o tempo, enquanto o amor dura. Eu estou encontrando todas os seus comentários. Não tive tempo para responder antes. Mas são uma graça. Beijo

      Excluir

A princípio, responderei a seu comentário, pois considero isso uma parte muito agradável da postagem.