Ganhei de todo mundo na geneiedade.

domingo, 26 de junho de 2016

Tu és.
















Tu és bela 

12 comentários:

  1. Sendo realmente bela, no sentido mais amplo e verdadeiro que essa concepção encerra, descrevê-la parece ser uma tarefa de fato muito difícil; e pensar em esquecê-la, acredito, pode ser no mínimo uma atitude que implicaria em fuga, medo, auto sabotagem, enfim. Às vezes algumas pessoas fazem isso né, fogem daquela parcela da nossa "felicidade" que a gente só encontra em outro coração. Acredito, porém, que este não é o teu caso, moço! Por isso desejo boa sorte pra ti e pra Bela do teu coração!

    De volta as paragens blogueira! Beijiiinhoosss!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, ver-te de volta!
      Sim, descrever o que ela foi, quanto à beleza, é impossível. E quanto a tudo o mais, impossível também, certamente. Quanto a esquecer, às vezes esse verbo cumpre uma necessidade do adeus e da vida. Juro-te que precisei tentar, ao menos, diminuir a intensidade do fulgor... – em vão! Então, segue assim, e não tentarei de novo tão cedo, pois nem começar se me dá. Tens razão quanto à fuga. Não é meu caso, e dói-me que para alguns essa fuga do que é real seja tentada. Não fujo do que é real. A realidade fugiu de mim. A sorte que me desejas é a sorte de ver a todos bem, porque eu até aqui só me sei bem assim.
      Ou seja, moça – também estou de volta ao que é mais puro e melhor em mim. Beijinhossssssssssss

      Excluir
  2. É realizador quando temos um amor tão belo nos sentidos mais amplos... Tua bela sempre foi tua, e tu certamente o amor belo dela. Isso (esse amor belo de beleza total) parece transpor qualquer barreira negativa entre duas pessoas. Que tu possas continuar com essa beleza sobre teus olhos e em teu pensamento.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é realizador. Deveras! E também sim, o amor real transpõe quaisquer barreiras negativas. Assim, o pensamento é a casa dos encontros com a benesse da felicidade. Ser feliz pelo pensamento e pela lembrança viva ainda é ser feliz. Uma colher de mel adoça um grande copo do café mais amargo. Beijosssssssssssss

      Excluir
  3. Isso que é paixão! Linda declaração! abraços, chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso que é paixão! Linda declaração! abraços, chica
      (Risos) Sabes que penso exatamente isto?! Deveras, agora me tiraste um riso largo! Alguém me disse um dia: ‘Tens todas as cores que minhas manhãs precisam, tens todo calor que meus dias requerem, tens toda maciez pela qual as minhas noites clamam... Mas digo-te que tens umas palavras mágicas. Quando dizes o quanto me amas, derramas rios de poesias perpassando todo o meu ser.’ Talvez esse alguém tenha querido me dizer: ‘Para mim, são belas demais as tuas declarações’! (risos)
      Talvez. Mas, neste caso especial, as palavras dessa minha postagem não são minhas. São dela para mim. Eu apenas inverti a declaração. Certamente ela te agradeceria muitíssimo!
      Abraçossssssssssssss

      Excluir
  4. Que lindo!!!
    Saudades de você viu?

    bjokas =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gratíssimo. Deveras, saudades de ti e de teu blogue também. Decerto que voltarei a visitar-te. Beijosssssssssssss

      Excluir
  5. Quando queremos muito é impossível cogitar esquecimento.

    Lindo, lindo!

    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que belíssimo verbo! Cogitar. E com que belíssimo pensamento me presenteaste hoje! Agradeço-te sinceramente! Gratíssimo. Beijosssssssssssssssss

      Excluir
  6. Hum, que belo!

    Boa tarde, Lucas! Ótima semana pra ti! Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Joana, o texto não é meu. Na verdade, eu o recebi de uma namorada, poucos meses antes de ela falecer num acidente. Esta foi uma homenagem. Gratíssimo a ti. Beijossssssssssssss

      Excluir

A princípio, responderei a seu comentário, pois considero isso uma parte muito agradável da postagem.